top of page
CDN 24H 300X250.png
  • Foto do escritorAntonio Marcos Nunes

É preciso repensar a política de Cabrália e reavaliar o momento político


Há momentos onde devemos reavaliar as conjunturas políticas de um lugar e repensar até que ponto a ação direta de agentes públicos estão ajudando ou emperrando o desenvolvimento.


O NOVO MOMENTO

Num processo político a ótica é a do momento, e sem querer parafrasear, mas já parafraseando, este é o momento exato dos cabralienses reavaliarem tudo aos seu redor, inclusive a possibilidade de promoverem um novo momento.


A MUDANÇA É NECESSÁRIA

2024 pode representar um recomeço, com novas peças no jogo político, um novo ambiente e sobretudo novas perspectivas. É preciso entender que o continuísmo nem sempre pode ser saudável, daí entender que mudar é salutar e necessário; entender que cada governante já teve a oportunidade de contribuir com sua parcela, e que a alternância de poder e de grupos políticos são a vitamina da democracia e reforça os pilares republicanos, impedindo os vícios sucessórios, como se a cidade fosse uma capitânia hereditária e a presença de personas não gratas que figuram há anos na vida pública não se perpetue na órbita do poder.


O PODER É DO POVO

Com consciência crítica, sem estigmas raivosos e revestidos de senso apurado de responsabilidade como munícipes, todos os cabralienses devem se debruçarem sobre o compromisso moral com a cidade onde vivem, onde criam seus filhos e filhas, a terra dos seus pais, e, não se permitirem ser ludibriados, antes, ficarem atentos e entenderem que são os verdadeiros responsáveis pelo próprio futuro, afinal, todo poder emana do povo.


Pensem e reflitam...



  • Instagram
  • Facebook
  • YouTube

Nos siga nas redes sociais.
Curta, comente e compartilhe!

Role para baixo e veja abaixo mais notícias

Todos os temas tratados neste veículo de comunicação, mesmo conteúdos que expressam opinião, são obedientes ao critério jornalístico relacionado a fatos e acontecimentos, dentro do direito à liberdade de expressão, assegurado na Constituição Federal do Brasil, sem qualquer intenção ou motivação pessoal de agredir pessoa alguma, tão somente expressar de forma legítima o DIREITO de opinar sobre fatos verídicos e acontecimentos reais, no amplo exercício de um jornalismo livre e plural.

 

Antonio Marcos Nunes dos Santos

Jornalista - Registro 0006829/BA  

00.JPG
728x90-min.gif
Veja Também
PC CA.png
bottom of page