BANNER-INTERNET-728-x-90.gif
Leia Também
  • Antonio Marcos Nunes

A difícil missão de recuperar Eunápolis após anos de corrupção e atraso


A prefeita, Cordélia Torres (UB), enfrenta o maior desafio de um gestor público; estar à frente da cidade de Eunápolis após anos de corrupção sistêmica dentro da estrutura do poder público e de um esquema impregnado na administração municipal para usar a máquina como financiadora de um projeto familiar, dando origem a formação de quadrilha, cognominada FRATERNOS pela PF, por ser liderada pelo ex-prefeito, Robério Oliveira e sua esposa, Cláudia Oliveira, ex-prefeita de Porto Seguro, lançando o município a décadas de atraso.


Tendo a missão de reconstruir as contas públicas e reerguer a cidade, a gestora teve que readequar a realidade do município diante do cenário que encontrou. Eunápolis tem, só com o INSS uma dívida de meio bilhão de reais, além de diversos outras, que inabilitam o município a receber recursos importantes; tudo herança do modelo de gestão adotado pelo ex-prefeito, onde a corrupção germinava no seio do governo, deixando a cidade, entre tantos problemas, inadimplente.


Em fase de reconstrução, a gestão da prefeita, Cordélia, tem intensificado seu olhar para a saúde, com importante atuação no Hospital Regional, provendo melhorias para a população; outra forte atuação da gestão Cordélia, acontece na educação, com reformas e melhorias em toda rede, inclusive com a climatização de unidades escolares, ainda, a inauguração da Escola Modelo Eunice Reis. Serviços essências, como limpeza urbana, com carpina e varrição são levadas à sério, bem como o serviço de tapa-buraco nas ruas da cidade.


A prefeitura já começou a pavimentação, dando início ao pacote de obras pelo bairro Juca Rosa, na Rua João Ramos, importante ligação com o bairro Alegria, e, seguirá logo após para o Dinah Borges.

Apesar das dificuldades a gestão Cordélia vem atuando para reconstruir Eunápolis, com determinação e coragem.