top of page

NOS ACOMPANHE E NOS SIGA NAS REDES SOCIAIS

  • Instagram
  • Facebook
  • X
  • TikTok
  • Youtube
  • Soundcloud
  • Whatsapp
  • Telegram
  • Foto do escritorAntonio Marcos Nunes

Agnelo exonera em nome da perseguição política e desanda seu projeto pessoal de fazer sucessor



O prefeito de Cabrália, Agnelo Santos (AVANTE), destrambelhou de vez e partiu com tudo pra cima de gente que sentava-se à sua mesa...

Imagine que o prefeito Agnelo exonerou seu chefe de gabinete, Gildásio Rocha de Novais (DAL), segundo o que se apurou, simplesmente por Dal ter ido ao culto de aniversário do pastor presidente das Assembleia de Deus em Cabrália, Pr Alenkásio, na última terça-feira (6); tudo por conta do religioso apoiar a candidatura do vice-prefeito, Carlos Lero ao executivo municipal este ano, contrariando os interesses do gestor.


 

Outra navalhada em nome da perseguição política desacerbada visa atingir o vereador Horácio, exonerando a esposa do parlamentar, Thais Marcele Silva Cerqueira da função que exercia, tão somente por ser esposa do vereador que não comunga com as atitudes do prefeito e também pelo edil já ter declarado apoio a candidatura de Carlos Lero.


Estão falando numa tal lista, e quem não reza a missa de Agnelo cai na navalhada da perseguição.


Agnelo deve rever seu modus operandi e entender que a porta dos fundos já está aberta para sua saída e é melhor deixa amigos que inimigos, até por que a roda gira, até porque um dia estamos por cima no outro estamos por baixo.


O que se comenta é que o prefeito anda colérico e já até passou mal por isso - Calma Guina é só o começo amigo, afinal quem planta vento colhe tempestade - Bom proveito!


Comments


Role para baixo e veja mais notícias

Todos os temas tratados neste veículo de comunicação, mesmo conteúdos que expressam opinião, são obedientes ao critério jornalístico relacionado a fatos e acontecimentos, dentro do direito à liberdade de expressão, assegurado na Constituição Federal do Brasil, sem qualquer intenção ou motivação pessoal de agredir pessoa alguma, tão somente expressar de forma legítima o DIREITO de opinar sobre fatos verídicos e acontecimentos reais, no amplo exercício de um jornalismo livre e plural.

 

Antonio Marcos Nunes dos Santos

Jornalista - Registro 0006829/BA  

00_edited.jpg
PC CA.png
bottom of page