BANNER-INTERNET-728-x-90.gif
Leia Também
  • Antonio Marcos Nunes

Bahia - Uma pessoa foi brutalmente esquartejada e outras duas mortas em troca de tiros na capital


Imagem Ilustrativa

O corpo de um homem, esquartejado, foi encontrado por populares na manhã de sábado (30), no bairro Tobogy em Salvador. Segundo informações do bnews, o corpo desmembrado foi localizado por volta das 7h da manhã, por pessoas que passavam pela Avenida Mário Sérgio Pontes de Paiva. Ainda, de acordo com a publicação, por meio de nota, a Polícia Militar (PM) confirmou o crime e disse que a área foi isolada para que o Departamento de Polícia Técnica (DPT) realizasse a perícia e remoção do corpo.


Dois outros corpo foram encontrados no subúrbio rodoviário de Salvador, no bairro Rio Sena, após intensa troca de tiros entre grupos rivais de bandidos, na travessa Moura Brasil. A polícia já encontrou os corpos sem sinais vitais, após ser acionada pela população que avisou sobre tiroteio entre grupos de homens armados rivais na região.


Em ambos os casos a polícia acionou o DPT para levantamento cadavérico e abrirá investigação para elucidar os crimes.


Segundo o Unodc, sistema de dados do Escritório das Nações Unidas para Crimes e Drogas, o Brasil responde por 20,4% dos homicídios no mundo mesmo tendo apenas 2,7% dos habitantes do planeta. Enquanto, em 2020, em 102 países morreram 232.676 pessoas, só aqui foram quase 48 mil óbitos.

O anuário revela que, em números absolutos, o Brasil lidera o ranking mundial de homicídios e é o oitavo país mais violento do mundo. Em volume de registros, apenas Índia (40.651) e México (36.579) possuem números tão grandes quanto os do Brasil.


A escalada da violência na Bahia, coloca o estado como o campeão nacional de mortes violentas. Foram 5.099 vítimas de assassinato em solo baiano no ano passado (2021), mais do que qualquer outro estado brasileiro. A taxa de mortes violentas intencionais cresceu 4% no país. A média ficou em 23,6 pra cada 100 mil habitantes. A Bahia é a segunda do ranking com (44,9), só perde para o Ceará com (45,2). Já São Paulo (9), Santa Catarina (11,2) e Minas Gerais (12,6) tiveram as menores taxas. No Brasil, o perfil das vítimas é de pessoas negras (76,2%), jovens (54,3%) e do sexo masculino (91,3%).