top of page
  • Foto do escritorRedação

Belmonte - 23 de maio tem prefeito e vereadores 'sumidões' e bandeiras hasteadas na madrugada

De político, só o vice-prefeito apareceu; prefeito e vereadores estavam "sumidões"

Em ato cívico a única autoridade presente foi o vice-prefeito, Flavielle de Sá

Este 23 de maio, vai ficar marcado na história de Belmonte, mas não por ter tido uma festa primorosa em comemoração aos 132 anos de emancipação da cidade, antes, pela primeira vez em todos os tempos, um gestor e a câmara de vereadores trataram com tamanho desdém a importância da data cívica, desrespeitando a história e o próprio povo belmontenses.

Professores (APLB), foram representando a educação sumariamente desrespeitada pela gestão Bebeto Gama

O fato lamentável, onde, de autoridade pública, só apareceu o vice-prefeito, Flavielle de Sá, enquanto, professores (APLB) e a Lyra prestavam homenagens ao dia tão simbólico na frente da prefeitura, onde as bandeiras já haviam sido hasteadas, inacreditavelmente, segundo informações na madrugada, no escuro, na calada da noite, no escondido. Ninguém conseguiu explicar o embaraçoso episódio que certamente entrará para os anais da história como a cena mais triste e lamentável já vivida pela municipalidade, em que no seu dia de celebração, o gestor, prefeito Bebeto Gama, o presidente da câmara, Luluca da Ambulância e seus pares não comparecerem sequer para realizar um ato cívico.

O ambiente estava de luto, triste e sem brilho, diante de uma gestão funesta promovida por uma governança despreparada, sem norte e sem sentimento de cidadania.


Feliz 23 de maio Belmonte, você supera tamanha maldade, dias melhores virão.

Bình luận


NOS ACOMPANHE E NOS SIGA NAS REDES SOCIAIS

  • Instagram
  • Facebook
  • X
  • TikTok
  • Youtube
  • Soundcloud
  • Whatsapp
  • Telegram

Role para baixo e veja mais notícias

Todos os temas tratados neste veículo de comunicação, mesmo conteúdos que expressam opinião, são obedientes ao critério jornalístico relacionado a fatos e acontecimentos, dentro do direito à liberdade de expressão, assegurado na Constituição Federal do Brasil, sem qualquer intenção ou motivação pessoal de agredir pessoa alguma, tão somente expressar de forma legítima o DIREITO de opinar sobre fatos verídicos e acontecimentos reais, no amplo exercício de um jornalismo livre e plural.

 

Antonio Marcos Nunes dos Santos

Jornalista - Registro 0006829/BA  

00_edited.jpg
728x180-min.gif
PC CA.png
bottom of page