top of page
  • Foto do escritorRedação

Belmonte| Prefeito Bebeto continua seu impiedoso massacre contra a educação


Igor Suzart coordenador da APLB
 

De forma impiedosa, o gestor belmontense, Bebeto Gama (PP), continua irredutível em não valorizar a educação municipal, renegando a categoria dos professores a humilhante condição de 'pedinte', tendo seus direitos tolidos por sua gestão, que sumariamente nega aos educadores o reajuste de 33,24% concedido pelo governo federal, desde o ano passado.



Bebeto Gama prefeito de Belmonte

Gama, já virou inimigo número UM dos educadores de Belmonte, diante de sua postura aversa ao reconhecimento dos professores, que são a base de toda e qualquer formação profissional. Diante da luta constante pela sensibilidade do gestor em ver a educação como prioridade, os professores já vêm se arrastando numa batalha sem trégua contra o posicionamento do prefeito em insistir em não ver os professores e a educação como prioridade de seu governo.


Recentemente uma equipe de TV esteve na cidade e fez o registro da guerra entre o executivo e os educadores que buscam ser valorizados no governo do prefeito, Bebeto Gama.


 

Veja trechos capturados pelos professores e compartilhado nas redes sociais:

 

Vale ressaltar que um professor de 40 horas semanais, recebe hoje em Belmonte R$ 2.886,00 (Dois Mil Oitocentos e Oitenta e Seis Reais), enquanto se fosse aplicado o direito ao reajuste federal, esse valor por 40 horas semanais trabalhadas seria de R$ 3.845,00 (Três Mil Oitocentos e Quarenta e Cinco Reais), uma defasagem de Mil Reais na remuneração da classe.


A educação é prioridade máxima em qualquer governo que pensa no futuro e respeita a história de seu povo. Lamentável a triste realidade da educação em Belmonte.

Comments


NOS ACOMPANHE E NOS SIGA NAS REDES SOCIAIS

  • Instagram
  • Facebook
  • X
  • TikTok
  • Youtube
  • Soundcloud
  • Whatsapp
  • Telegram

Role para baixo e veja mais notícias

Todos os temas tratados neste veículo de comunicação, mesmo conteúdos que expressam opinião, são obedientes ao critério jornalístico relacionado a fatos e acontecimentos, dentro do direito à liberdade de expressão, assegurado na Constituição Federal do Brasil, sem qualquer intenção ou motivação pessoal de agredir pessoa alguma, tão somente expressar de forma legítima o DIREITO de opinar sobre fatos verídicos e acontecimentos reais, no amplo exercício de um jornalismo livre e plural.

 

Antonio Marcos Nunes dos Santos

Jornalista - Registro 0006829/BA  

00_edited.jpg
728x180-min.gif
PC CA.png
bottom of page