top of page
  • Foto do escritorRedação

Câmara de Eunápolis propõe ao Executivo criação do Plano Municipal da Primeira Infância


homem e mulher sentados

A Câmara Municipal de Eunápolis aprovou a indicação número 45/2023, que solicita ao Poder Executivo que encaminhe à Casa de Leis Projeto de Lei que cria o “Plano Municipal da Primeira Infância”, em obediência ao artigo 227 da Constituição Federal, combinado com as orientações apontadas no Estatuto da Criança e do Adolescente (art. 4o da Lei 8 069/1990) e pelo Marco Legal da Primeira Infância (art. 3o e art. 35 da Lei 13.257/2017, que modifica o art. 260 do ECA).


O texto é de autoria do vereador Jorge Maécio (PP) e a aprovação no plenário aconteceu durante a 1174ª Reunião Ordinária desta quinta-feira, dia 31 de agosto.



muitas pessoas sentadas num balcão

O Plano Municipal pela Primeira infância expressa o compromisso do município com suas crianças, alega o vereador/autor, “considerando que é interesse do poder público municipal a definição de ações que assegurem direitos essenciais ao desenvolvimento saudável na primeira infância, o que pode levar à criança a se adaptar mais facilmente a ambientes diferentes e agregar novos conhecimentos, para que possa ter um bom desempenho escolar, realizar-se profissionalmente e tornar-se um cidadão responsável”.


A iniciativa marca o mês de agosto, pois o dia 24 foi escolhido da celebrar o Dia da Infância, data estabelecida pelo Fundo Internacional de Emergência das Nações Unidas (Unicef) com o objetivo de provocar reflexão sobre as condições de vida das crianças em todo o mundo.


Devido ao feriado de 7 de Setembro, a próxima sessão da Câmara de Eunápolis foi convocada para terça-feira, dia 5 de setembro.

Comentarios


NOS ACOMPANHE E NOS SIGA NAS REDES SOCIAIS

  • Instagram
  • Facebook
  • X
  • TikTok
  • Youtube
  • Soundcloud
  • Whatsapp
  • Telegram

Role para baixo e veja mais notícias

Todos os temas tratados neste veículo de comunicação, mesmo conteúdos que expressam opinião, são obedientes ao critério jornalístico relacionado a fatos e acontecimentos, dentro do direito à liberdade de expressão, assegurado na Constituição Federal do Brasil, sem qualquer intenção ou motivação pessoal de agredir pessoa alguma, tão somente expressar de forma legítima o DIREITO de opinar sobre fatos verídicos e acontecimentos reais, no amplo exercício de um jornalismo livre e plural.

 

Antonio Marcos Nunes dos Santos

Jornalista - Registro 0006829/BA  

00_edited.jpg
IMG_6502.gif
PC CA.png
bottom of page