BANNER-INTERNET-728-x-90.gif
Leia Também
  • Antonio Marcos Nunes

Cabrália - Recurso Eleitoral de Agnelo Santos terá relator linha dura


Sem querer antecipar-se aos fatos, mas, a situação do indeferido Agnelo Santos fica cada vez mais difícil, diante das circunstâncias, dos seus processos que o impede de ser declarado prefeito reeleito nas últimas eleições municipais, ocorridas em 15 de novembro.

Conhecido pelo rigor na interpretação da lei, o ministro do TSE, Luis Felipe Salomão, foi por sorteio designado o relator do recurso do candidato a reeleição à vacância de prefeito de Santa Cruz Cabrália, Agnelo Santos (PSD), junto ao TSE. Recurso já remetido ao Ministério Público para parecer final e consequente julgamento definitivo na corte suprema eleitoral com relatoria do ministro Salomão.

O baiano Luis Felipe Salomão, nascido em 18 de março de 1963, na capital baiana, Salvador, cursou direito na Universidade Federal do Rio de Janeiro; em 1990 aos 27 anos o soteropolitano começou sua carreira como juiz no Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, onde atuou até o ano de 2004, passando no mesmo ano a ser desembargador no Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, permanecendo até 2008, quando foi no mesmo ano de 2008 nomeado pelo ex presidente da república, Luiz Inácio Lula da Sila, Ministro do Superior Tribunal de Justiça do Brasil, onde permanece até os dias atuais.

Austero e respeitado, o ministro Salomão julgará um prefeito que já foi afastado pela PF por cinco meses sob acusação de fazer parte de uma quadrilha organizada, junto com a irmã, Cláudia Oliveira e o cunhado Robério Oliveira, ela, prefeita de Porto Seguro e Robério de Eunápolis, ambos, responsáveis pelo desvio de R$ 200 Milhões de Reais dos cofres públicos, na operação da polícia federal, conhecida como Operação Fraternos e, ainda o trio foi alvo de outra operação da mesma PF que apurou desvio de recursos públicos, batizada de Operação Gênesis, enfim, a ficha criminal de Agnelo Santos não conspira em nada a seu favor.