top of page
CDN 24H 300X250.png
  • Foto do escritorRedação

Doze mortos em terremotos sequenciados na América do Sul e no México


O terremoto que teve início no Equador na tarde deste sábado (18), atingiu a Argentina, Chile, México e Peru, deixando ao menos 12 mortos em consequência do abalo de magnitude 6,5. As informações são do G1.

 

De acordo com a publicação, até o momento, o tremor mais forte foi registrado no Peru. O Centro Sismlógico Nacional peruano registrou um sismo de magnitude 7,0. De acordo com o Instituto Nacional de Defesa Civil, não há notícias de mortos ou feridos e nem de perdas materiais.

No Equador, um terremoto de magnitude de 6,7 atingiu a costa do país às 12h12. Na sequência foram registrados dois novos abalos na mesma região, de magnitudes 4,6 e 3,7, e moradores de Guayaquil e mais seis cidades relataram notar os tremores. O presidente Guillermo Lasso confirmou a morte de 12 pessoas.

O Instituto Nacional de Prevenção Sísmica identificou dois tremores na Argentina nas últimas 24 horas: em Mendoza (magnitude 5,0) e em Catamarca (magnitude 3,0), com menos de meia hora de diferença um do outro.

No mesmo período, pelo menos seis ocorrências de tremores foram registradas no Chile. O mais forte foi observado em Arica (magnitude 4,0), às 5h01. As cidades de Antofagasta, Araucania, Bio-Bio, Calam e Cobquecura também foram afetadas

No México, há o registro de pelo menos 18 tremores, de acordo com o Serviço Sismológico Nacional mexicano. O epicentro do mais forte deles (magnitude 4,3) foi identificado a cerca de 150 quilômetros de San Jose Del Cabo, às 10h33.

Outros tremores, que variaram entre magnitudes 3,3 a 4,2, ocorreram nas regiões de Michoacan, Chiapas, Guerrero, Jalisco, Oaxaca e Baja California.


  • Instagram
  • Facebook
  • YouTube

Nos siga nas redes sociais.
Curta, comente e compartilhe!

Role para baixo e veja abaixo mais notícias

Todos os temas tratados neste veículo de comunicação, mesmo conteúdos que expressam opinião, são obedientes ao critério jornalístico relacionado a fatos e acontecimentos, dentro do direito à liberdade de expressão, assegurado na Constituição Federal do Brasil, sem qualquer intenção ou motivação pessoal de agredir pessoa alguma, tão somente expressar de forma legítima o DIREITO de opinar sobre fatos verídicos e acontecimentos reais, no amplo exercício de um jornalismo livre e plural.

 

Antonio Marcos Nunes dos Santos

Jornalista - Registro 0006829/BA  

00.JPG
728x90-min.gif
Veja Também
PC CA.png
bottom of page