top of page
  • Foto do escritorJornalismo

Dra Márcia Gomes, uma mulher como referência no Direito Administrativo

Histórico profissional da advogada lhe credencia como Referência

Márcia Gomes da Costa, advogada, atua no Direito Administrativo; neste momento exerce a função de Procuradora Geral de Itabela-Bahia. A Dra Márcia, reconhecidamente uma das mais bem preparadas profissionais do Direito Administrativo, sendo celebrada com louvor na sua atuação à frente dos atos jurídicos do Poder Executivo do município itabelense, ainda, ganha ampla notoriedade, não só por sua já comprovada competência, mas, sobretudo por ser uma das poucas mulheres que empunham o ofício de atuar numa área do ramo do direito ainda pouco explorada pelo sexo feminino.

Qualificada e extremamente competente, a advogada, tem como formação acadêmica, graduação em Direito pelo CESESB - Centro de Ensino Superior do Extremo Sul da Bahia (2006). Pós graduada em Direito Ambiental e Direito do Trabalho e Processual do Trabalho pela Universidade Cândido Mendes e AVM - Faculdade Integrada (2012); Pós graduada em Gestão Pública pela Universidade Cândido Mendes (2021) e Pós graduada em Direito Público com ênfase em contratos e licitações pela Unifaveni (2023), ainda, no histórico profissional, atuou na Prefeitura Municipal de Belmonte como Procuradora Adjunta do período de Outubro de 2016 à Dezembro de 2016. Atuou também como assessora jurídica da Câmara de Vereadores em Eunápolis, no período de Janeiro de 2017 à Dezembro de 2018. No momento, atua como Procuradora Geral do Município de Itabela, desde Fevereiro de 2019 até a presente data. A advogada, por certo, e inegavelmente, tem dado uma contribuição sem precedentes na sua área para o êxito e excelência da administração pública do município de Itabela.

Parabéns, Dra Márcia Gomes, seu trabalho é REFERÊNCIA.

  • Instagram
  • Facebook
  • YouTube

Nos siga nas redes sociais.
Curta, comente e compartilhe!

CDN24H 300 X 250.png

Todos os temas tratados neste veículo de comunicação, mesmo conteúdos que expressam opinião, são obedientes ao critério jornalístico relacionado a fatos e acontecimentos, dentro do direito à liberdade de expressão, assegurado na Constituição Federal do Brasil, sem qualquer intenção ou motivação pessoal de agredir pessoa alguma, tão somente expressar de forma legítima o DIREITO de opinar sobre fatos verídicos e acontecimentos reais, no amplo exercício de um jornalismo livre e plural.

 

Antonio Marcos Nunes dos Santos

Jornalista - Registro 0006829/BA  

00.JPG
Veja Também
PC CA.png
bottom of page