BANNER-INTERNET-728-x-90.gif
Leia Também
  • Antonio Marcos Nunes

Em inauguração do aterro sanitário, Eunápolis busca alternativa para catadores de lixo


Representando a prefeita Cordélia Torres (DEM), que está em São Paulo cumprindo agenda de saúde com o marido, o presidente da Câmara de Vereadores de Eunápolis, Jorge Maécio (PP), acompanhou, na manhã desta segunda-feira (17/05), a ida do Ministro do Meio Ambiente, Ricardo Sales, ao município de Santa Cruz Cabrália para inauguração da Central de Tratamento e Valorização de Resíduos (CTVR) Costa do Descobrimento.

Também estavam presentes o secretário de Meio Ambiente de Eunápolis, Flamarion Mattos e de Governo, Osvaldo Soares. Com capacidade de 550 toneladas por dia, a obra permitirá a desativação de oito lixões no entorno, atendendo aos municípios de Eunápolis, Porto Seguro, Santa Cruz Cabrália, Guaratinga, Itabela, Itagimirim, Itapebi e Belmonte.


Ao expressar a preocupação da gestora com o fim da ocupação da mão de obra dos catadores no lixão da cidade, o presidente da Câmara de Vereadores, Jorge Maécio, conversou com o Ministro Ricardo Sales e com diretores da Naturalle quando sugeriu o aproveitamento dessa mão de obra precarizada, "podendo ser qualificada e transformada em separadores, retornando-os à cadeia produtiva no aterro que também vai gerar energia ou combustível para indústrias, por meio do reaproveitamento do biogás, gerado no aterro". Completou.


PARCERIA

Distante 30 Km de Eunápolis, a obra, no valor de R$ 50 milhões, foi realizada em parceria com a iniciativa privada e se alinha aos objetivos do programa Lixão Zero, eixo da Agenda Ambiental Urbana, lançado em 2019 pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA).

O equipamento será operado pela Naturalle, empresa de Salvador com atuação em 49 municípios, nos estados da Bahia, Pernambuco e Alagoas. A Unidade ocupa uma área de 75 hectares, e deverá atender aos preceitos de ecoeficiência, tratando e valorizado os resíduos recebidos.

A Central de tratamento da CTVR está equipada para beneficiamento de resíduos sólidos urbanos, resíduos de serviços de saúde, resíduos de construção civil e resíduos perigosos (Classe I).


Por Ascom/CME

Fotos: Divulgação