BANNER-INTERNET-728-x-90.gif
Leia Também
  • Antonio Marcos Nunes

Estamos vivendo o apagão da lógica, interesses que vão além da medicina


Após uma crise que obrigou muitas empresas a fecharem as portas definitivamente o ano passado, deixando um saldo devastador de pais e mães de família desempregados, muitos vivendo unicamente graças ao auxílio do governo federal, 2020 deixou a lição que, governantes e 'ciência' têm que considerar a luta contra a pandemia, sem gerar uma outra guerra, a contra a fome e o desemprego. É fato a gravidade do covid-19 e sua letalidade, com suas mutações e cepas, que, dizimam vidas por todo mundo, mas, de uma forma ou de outra a humanidade terá de confrontar-se com essa realidade, e o ideal seria a consciência de todos diante de tamanho desafio que nos envolve, no entanto, se lockdown fosse a solução já teríamos resolvido o problema, afinal, 2020 foi um quase total lockdown, salvo as eleições, que aglomeraram e a vida seguiu; lembrou?. A vacina e as medidas sanitárias e o distanciamento parecem ser a direção mais viável para se seguir, porquanto, o que seria de um pai, mãe, e, uma família, ficar trancafiada dentro de casa e a dispensa vazia, enquanto o filho ou filha pergunta aos pais "cadê o pão?", enfim, também, e igualmente aterrorizante é o filho ou a filha perguntar "cadê meu pai, ou mãe?" enquanto estes agonizam sem oxigênio em um hospital, sendo asfixiados pela doença; enfim, estamos vivendo, de certa forma, no círculo da dúvida, uma espécie de apagão da lógica, além de interesses que vão além da medicina e da vida, ou seja, tudo é uma questão de comportamento.

  • Cinza ícone do YouTube