BANNER-INTERNET-728-x-90.gif
Leia Também
  • Antonio Marcos Nunes

Eunápolis - 2021 será o ano do desafio da reestruturação administrativa da nova gestão


Era previsível as dificuldades que a nova gestão haveria de ter para fazer a engrenagem administrativa funcionar em Eunápolis, depois dos 16 anos de um grupo que esteve à frente do poder público. A máquina pública teve enraizada no modus operandi da estrutura da administração municipal ao longo de anos, pessoas e, funções que afunilaram o modelo de governança do município para atender os interesses da política adotada pelo ex prefeito José Robério Batista Oliveira. O primeiro desafio que a gestão Cordélia Torres enfrenta é a readequação da engrenagem da coisa pública, aos moldes que estejam dentro do seu perfil de governo, que em primeiro momento deve ser feito de forma gradativa, situação que delega tempo. A prefeita de Eunápolis, além de ter formação em direito é também graduada em administração, condições que farão com que a gestora, adote medidas técnicas para implantar uma modelagem administrativa que esteja dentro das suas expectativas, e que corrobore para concorrer nas realizações do seu governo. A previsão é que este ano de 2021 seja um ano de ajustes e manutenção, preparando o terreno para os avanços, as conquistas e as metas dos anos subsequentes. Nomes ligados a política local e conhecedores dos problemas de Eunápolis, avaliam que Torres terá pela frente em primeiro momento que fazer a equação na governança e só depois que tiver arrumado a casa, após anos de um outro tipo de governar, que renegou a próspera Eunápolis aos vários anos de atraso, deixados pelo gestor anterior, ela empreenderá com toda força seu ritmo de trabalho, assim, o que se espera neste primeiro momento é paciência em um primeiro ano de reconstrução administrativa.