Leia Também
  • cdn24horas

Eunápolis -"Nossa preocupação são as crianças fora da sala de aula", desabafa secretário de educação


Secretário pede que aulas voltem a normalidade

O Secretário de Educação de Eunápolis, Gabriel Saulo, falou da sua preocupação como secretário e, maior ainda a da prefeita, Cordélia Torres, com as crianças fora da escola, e, reforça para que a categoria, que voltem para a sala de aula o mais rápido possível, e que busquem outra forma de negociação, mas que não penalizem os alunos. Segundo Gabriel, todos os esforços foram feitos pelo município para evitar penalizar ainda mais o alunado, que já tem dois anos de atraso na formação, diante da pandemia do covid-19. Gabriel chama à atenção da comunidade para reafirmar que a gestão está tão preocupada, quanto cada um dos pais com a vida escolar das crianças da rede municipal.


Em reunião da prefeita Cordélia com os secretários, Casa Civil - Paulo Dapé; Gestão - Carlos Ronaldo; Finanças - Jairo Azevedo; e o subsecretário Dr Franklin, foi definido o novo piso de 4.201,00 para os professores.

A categoria em Eunápolis teve reajuste no piso salarial acima do nacional que é R$ 3.845,63 (Três Mil Oitocentos e Quarenta e Cinco Reais e Sessenta e Três Centavos), sendo que em Eunápolis o professor irá receber R$ 4.201,00 (Quatro Mil Duzentos e Um Reais), sendo considerado um dos maiores da Bahia, assim, não se justifica a greve deflagrada pelo sindicato da categoria-APLB. O secretário falou que a prefeita Cordélia está com a consciência tranquila quanto a remuneração dos educadores, no entanto, sua preocupação são as crianças eunapolitanas sem aula por uma decisão da APLBA, apesar de todo esforço da gestão para que isso não acontecesse.


Secretário diz que preocupação da gestão são as crianças fora da escola

O Secretário finaliza dizendo para os pais dos alunos que o diálogo com os professores sempre esteve e está aberto, e, que a gestão em nome de cada mãe, pai ou responsável de aluno, reforça o apelo para sensibilizar a direção da APLB a negociar sem prejudicar as crianças. Criança fora da escola, Não!