top of page

NOS ACOMPANHE E NOS SIGA NAS REDES SOCIAIS

  • Instagram
  • Facebook
  • X
  • TikTok
  • Youtube
  • Soundcloud
  • Whatsapp
  • Telegram
  • Foto do escritorAntonio Marcos Nunes

Eunapolitanos são indiferentes às movimentações políticas e agem com frieza na hora da decisão; legislativo inconstante


Imagem Ilustrativa

Nenhuma cidade da Costa do Descobrimento tem um eleitorado tão consciente do que realmente quer quanto o eunapolitano. Um claro exemplo desse comportamento dos eunapolitanos é ninguém ter visto qualquer manifestação em ruas, com cartazes ou faixas em avenidas durante o tumultuado momento das relações entre a câmara de vereadores e a prefeita; o que houve na verdade foi a população assistindo a tudo e tirando suas próprias conclusões... silenciosamente.


Não se vê fora do eixo daqueles que têm interesse direto no processo político se esboçar nenhum ato público pró ou contra qualquer figura pública, antes, nota-se que o eleitorado é indiferente aos arranjos e as arrumações. A característica peculiar dos eunapolitanos dá o tom da frieza na hora de decidir, em outras palavras, o ambiente político pode até se movimentar, mas os eunapolitanos não dançam o samba do "crioulo doido".


Outra observação que chama à atenção é a interpretação feita pelo povo quanto aos atos praticados por agentes públicos eleitos para os representar. Imagine o que este povo tem pensado da inconstância de uma câmara inconstante em sua postura e comportamento, com vereadores que amanhecem na oposição e anoitecem na situação e vice versa, agindo de acordo com a conveniência pessoal atendendo seus próprios interesses, e sabe-se lá que interesses, enfim, o povo se manifestará nas urnas em 2024 com toda consistência necessária e com a frieza que lhes é peculiar.

תגובות


Role para baixo e veja mais notícias

Todos os temas tratados neste veículo de comunicação, mesmo conteúdos que expressam opinião, são obedientes ao critério jornalístico relacionado a fatos e acontecimentos, dentro do direito à liberdade de expressão, assegurado na Constituição Federal do Brasil, sem qualquer intenção ou motivação pessoal de agredir pessoa alguma, tão somente expressar de forma legítima o DIREITO de opinar sobre fatos verídicos e acontecimentos reais, no amplo exercício de um jornalismo livre e plural.

 

Antonio Marcos Nunes dos Santos

Jornalista - Registro 0006829/BA  

00_edited.jpg
PC CA.png
bottom of page