top of page
  • Foto do escritorRedação

Falso médico preso em Itagimirim disse atender em outros municípios


O falso médico preso na manhã de quara-feira, dia 27, na cidade de Itagimirim, disse atender em Itabuna, Santa Cruz Cabrália e em remoção de pacientes. O homem de 50 anos não mantinha vínculo com o município de Itagimirim, sendo prestador de serviço de empresa terceirizada, que presta serviço ao município.


O flagrante do exercício ilegal da medicina e a prisão, ocorreu na manhã de quarta-feira e ao perceber que policiais se aproximavam do Hospital Municipal de Itagimirim tentou evadir-se e empreendeu fuga num veículo sendo interceptado no trevo de saída da cidade por guarnições da PM.


Identificado como Paulo Rogério, o falso médico é rescindente na prática criminosa, já tendo sido preso em 2016 pelo mesmo crime na capital baiana.


A atuação como médico só foi possível por apresentar documentos falsos de um profissional que atua no Espirito Santo e se passar por ele. O município de Itagimirim, representado pela Secretaria Municipal de Saúde, reitera seu compromisso com a lisura e legalidade de todos os profissionais que atuam no âmbito da pasta e lamenta que indivíduos desprovidos de caráter haja de forma criminosa contra o ente público e sobretudo contra a vida, e espera que seja aplicado em casos como o ocorrido, os rigores da lei.


O Secretário de Saúde, Leopoldo Lacerda, falou ao cdn24horas que avanços significativos vem sendo feito na saúde para atender a população, com a aquisição de novos equipamentos médico/hospitalar; centro cirúrgico reestruturado; TFD ativo; ambulância e outras conquistas na sede e no interior são a marca dos avanços da saúde no município.



Comments


NOS ACOMPANHE E NOS SIGA NAS REDES SOCIAIS

  • Instagram
  • Facebook
  • X
  • TikTok
  • Youtube
  • Soundcloud
  • Whatsapp
  • Telegram

Role para baixo e veja mais notícias

Todos os temas tratados neste veículo de comunicação, mesmo conteúdos que expressam opinião, são obedientes ao critério jornalístico relacionado a fatos e acontecimentos, dentro do direito à liberdade de expressão, assegurado na Constituição Federal do Brasil, sem qualquer intenção ou motivação pessoal de agredir pessoa alguma, tão somente expressar de forma legítima o DIREITO de opinar sobre fatos verídicos e acontecimentos reais, no amplo exercício de um jornalismo livre e plural.

 

Antonio Marcos Nunes dos Santos

Jornalista - Registro 0006829/BA  

00_edited.jpg
728x180-min.gif
PC CA.png
bottom of page