BANNER-INTERNET-728-x-90.gif
Leia Também
  • Antonio Marcos Nunes

Fraternos - A mascarada falsa liberdade do casal de ex prefeitos


Imagem namidianews

Alardeado como uma vitória por correligionários, a soltura dos ex prefeitos, Robério Oliveira e Cláudia Oliveira, dos presídios de Eunápolis e Teixeira de Freitas, onde, estiveram presos, na verdade, não é bem como tentam mascarar o grupo e os próprios envolvidos.

Embora não estejam mais encarcerados fisicamente, o casal fraterno, está preso por medidas cautelares, que, caso descumpram apenas uma delas, voltarão a prisão a qualquer momento.

Robério Oliveira, ex prefeito de Eunápolis e sua esposa, Cláudia Oliveira, ex prefeita de Porto Seguro, não gozam da liberdade plena, são réus num processo multimilionário que apura o desvio de mais de 200 milhões de reais dos cofres públicos, a eles cabem rígidas restrições:

1. Têm a obrigação de ter seus endereços atualizados na justiça;

são proibidos de manter contato, por quaisquer meios de comunicação, com os demais indiciados;

2. estão proibidos de se ausentarem do município de residência por mais de 8 (oito) dias consecutivos, somente com autorização judicial;

3. estão proibidos de frequentar os locais onde funcionem as administrações dos Municípios de Eunápolis, Porto Seguro e Santa Cruz de Cabrália (Não podem colocar os pés nas prefeituras ou qualquer repartição pública destas três cidades).


E para gozarem dessa falsa liberdade, o casal fraterno teve que desembolsar 200 Mil Reais, a título de fiança.

Vale lembrar que o episódio envolvendo os fraternos, Robério e sua esposa Cláudia, é apenas a ponta do iceberg de um processo, que, após transitado e julgado, confirmada as acusações, a prisão é a sentença condenatória nesses casos, motivo que deve está deixando os Oliveira e seu grupo político em polvorosa.