top of page

NOS ACOMPANHE E NOS SIGA NAS REDES SOCIAIS

  • Instagram
  • Facebook
  • X
  • TikTok
  • Youtube
  • Soundcloud
  • Whatsapp
  • Telegram
  • Foto do escritorRedação

Homem mata pastor por motivo fútil e alega delito por ser chamado de "cantor"


A Justiça decidiu converter a prisão em flagrante de Mateus Pereira Rodrigues, suspeito de matar o pastor evangélico Sulpicio da Silva Neto a facadas, em preventiva. A decisão aconteceu na última terça-feira (31) após audiência de custódia.


Segundo a polícia, Mateus confessou ter assassinado o religioso por conta de um apelido. O crime aconteceu na última segunda-feira (30), em Curimatá, a 392 km ao Sul de Teresina.


O juiz Nauro Thomaz de Carvalho, da Vara Única da Comarca de Avelino Lopes, homologou a prisão e fez a conversão. Com isso, o suspeito continua à disposição da Justiça enquanto responde pelo crime.


Relembre o crime O pastor foi encontrado morto, com marcas possivelmente causadas por faca, na sala de sua própria casa. Vizinhos relataram à polícia que o autor do crime seria Mateus, vizinho do pastor.

O suspeito foi encontrado próximo ao local do crime com uma arma branca na cintura. O próprio suspeito do crime alegou, segundo a polícia, ter se vingado de um apelido dado pela vítima, que o chamava de "cantor" (não se sabe a origem do apelido).

Com a confissão, o homem foi preso em flagrante e conduzido para a Delegacia da Polícia Civil de Curimatá.

1 Kommentar


Gast
02. Nov. 2023

Lamentável , que esse criminoso não vai responder a altura do crime que cometeu , as autoridades legislativo precisa com urgência convencer essa turma da esquerda que precisa , aprovar a redução da maioridade penal com uma pena mais dura !

Gefällt mir

Role para baixo e veja mais notícias

Todos os temas tratados neste veículo de comunicação, mesmo conteúdos que expressam opinião, são obedientes ao critério jornalístico relacionado a fatos e acontecimentos, dentro do direito à liberdade de expressão, assegurado na Constituição Federal do Brasil, sem qualquer intenção ou motivação pessoal de agredir pessoa alguma, tão somente expressar de forma legítima o DIREITO de opinar sobre fatos verídicos e acontecimentos reais, no amplo exercício de um jornalismo livre e plural.

 

Antonio Marcos Nunes dos Santos

Jornalista - Registro 0006829/BA  

00_edited.jpg
PC CA.png
bottom of page