top of page
  • Foto do escritorRedação

Ministros de Lula estão entre os nomes que CPI do MST quer convocar

Além de ministros, constam na lista Ricardo Lewandowski, ex-STF e dirigentes do MST e da Embrapa

Desde a instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga invasões por integrantes do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), deputados já protocolaram 37 solicitações de convocação ou convite para que autoridades, líderes ou testemunhas prestem depoimentos. A CPI foi instalada em 17 de maio.

Entre os possíveis depoentes estão o ministro da Agricultura, Carlos Fávaro, e o ministro da Justiça e Segurança Pública, Flávio Dino; o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski; o líder do movimento, João Pedro Stédile; a presidente da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Silvia Maria Massruhá; e Walner Junior, diretor da empresa Suzano.


Na reunião agendada para esta terça-feira, 23, o relator da comissão, deputado federal Ricardo Salles (PL-SL), prometeu que apresentar aos membros do colegiado um plano de trabalho contendo um cronograma das atividades da CPI.


A definição sobre a análise dos requerimentos, se será feita nesta terça-feira ou em uma reunião subsequente, ainda será discutida entre os membros.


Conforme entendimentos estabelecidos pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) e pelo Supremo Tribunal Federal (STF), as testemunhas convocadas por uma CPI são obrigadas a comparecer e prestar esclarecimentos. Somente os investigados possuem o direito de se recusarem a comparecer.


Atarde

תגובות


NOS ACOMPANHE E NOS SIGA NAS REDES SOCIAIS

  • Instagram
  • Facebook
  • X
  • TikTok
  • Youtube
  • Soundcloud
  • Whatsapp
  • Telegram

Role para baixo e veja mais notícias

Todos os temas tratados neste veículo de comunicação, mesmo conteúdos que expressam opinião, são obedientes ao critério jornalístico relacionado a fatos e acontecimentos, dentro do direito à liberdade de expressão, assegurado na Constituição Federal do Brasil, sem qualquer intenção ou motivação pessoal de agredir pessoa alguma, tão somente expressar de forma legítima o DIREITO de opinar sobre fatos verídicos e acontecimentos reais, no amplo exercício de um jornalismo livre e plural.

 

Antonio Marcos Nunes dos Santos

Jornalista - Registro 0006829/BA  

00_edited.jpg
IMG_6502.gif
PC CA.png
bottom of page