top of page
  • Foto do escritorRedação

Morte de radialista assassinado no Pará nos traz à memória Ronaldo Santana


homem falando ao microfone
Ronaldo Santana

A morte do radialista, Hernandes Silva Alencar, desta vez no Pará, na noite de sexta-feira, dia 22, engrossa a triste estatística de assassinato de profissionais de imprensa por denunciar e expor as mazelas e tão somente falar a verdade. No próximo dia 09 de outubro completa 26 anos do assassinato do radialista Ronaldo Santana; no início de uma manhã de quinta-feira sangrenta, atiraram impiedosamente contra o radialista, mesmo estando na companhia do filho menor atiraram para matar; nas proximidades da feira do bueiro era silenciada a voz de um homem destemido, corajoso, mas acima de tudo, pai, esposo e cidadão. Ficou ali agonizando até que se esvaiu em sangue...

Que a imprensa seja sempre uma coluna da sociedade e que jamais silencie sua voz diante daqueles que querem a lei da mordaça.

Comments


NOS ACOMPANHE E NOS SIGA NAS REDES SOCIAIS

  • Instagram
  • Facebook
  • X
  • TikTok
  • Youtube
  • Soundcloud
  • Whatsapp
  • Telegram

Role para baixo e veja mais notícias

Todos os temas tratados neste veículo de comunicação, mesmo conteúdos que expressam opinião, são obedientes ao critério jornalístico relacionado a fatos e acontecimentos, dentro do direito à liberdade de expressão, assegurado na Constituição Federal do Brasil, sem qualquer intenção ou motivação pessoal de agredir pessoa alguma, tão somente expressar de forma legítima o DIREITO de opinar sobre fatos verídicos e acontecimentos reais, no amplo exercício de um jornalismo livre e plural.

 

Antonio Marcos Nunes dos Santos

Jornalista - Registro 0006829/BA  

00_edited.jpg
728x180-min.gif
PC CA.png
bottom of page