Leia Também
  • cdn24horas

Nova greve dos professores prejudica quase 20 mil alunos em Eunápolis


A convite de uma emissora de rádio local, o secretário de Educação, Gabriel Saulo Rios, concedeu entrevista sobre a greve dos professores deflagrada nesta terça-feira (19), prejudicando aproximadamente 20 mil estudantes da rede municipal de ensino. O programa ainda contou com a participação por telefone da prefeita Cordélia Torres, que considerou injustificável a atitude da categoria em paralisar as atividades no município de Eunápolis.

Dentre as reivindicações da categoria, a principal cobrança está relacionada ao reajuste salarial. “Eunápolis está pagando um dos maiores salários aos professores na Bahia. O Piso Nacional é de R$ 3.845, 63, estamos pagando R$ 4.201,00, então qual a justificativa para a greve?”, questionou a gestora, acrescentando que diversos investimentos estão sendo destinados à área da educação para dar melhores condições de trabalho aos profissionais e mais comodidade aos estudantes.

O secretário demonstrou preocupação com os estudantes, principais prejudicados com a falta das aulas. “Minha maior preocupação é com as crianças, que ficaram 2020 sem aulas, 2021 com ensino híbrido, e agora quando voltamos 100% presencial, é deflagrada a greve, que é grave. Não podemos fazer a solicitação dos produtos para a merenda escolar, pois não sabemos quando terá alunos nas escolas, e muitos deles garantem as principais refeições do dia nas unidades escolares”, frisou.

A prefeita ainda convocou a comunidade para pressionar a categoria para o retorno às atividades. “A gestão está cumprindo com seus compromissos, então convoco pais e responsáveis para que exijam que os professores estejam nas salas de aula, pois temos que nos unir para aumentar o IDEB, precisamos mudar essa marca tão negativa, e sozinha eu não consigo, tenho o maior respeito pelos bons educadores, e precisamos ter o mesmo propósito para que Eunápolis seja grande”, finalizou.

Ascom – Prefeitura de Eunápolis (BA)