BANNER-INTERNET-728-x-90.gif
Leia Também
  • Antonio Marcos Nunes

Operação da PF na capital baiana mira desvios na compra de respiradores pelo Consórcio Nordeste


PF deflagrou Operação na manhã de terça-feira, dia 26

Ação da Polícia Federal foi deflagada na manhã de terça-feira (26) para apurar desvios de dinheiro público na compra fraudulenta de 300 respiradores pelo Consórcio Nordeste, em que ex-integrantes da cúpula do governo do baiano e, também o governador petista, Rui Costa, estão envolvidos.


Laranjas, lobistas e empresários são os alvos da Operação, com 14 mandados de busca e apreensão, por envolvimento no esquema criminoso que lesou os cofres públicos, além de ter deixado no pico da pandemia do novo coronavírus, muitas vítimas do covid-19 morrerem sem os aparelhos, que custaram ao consórcio 49 Milhões de Reais, valor que foi destinado para a empresa Hempcare Pharma Representações Ltda, que recebeu o montante antecipadamente e nunca entregou um único respirador.


A ação, batizada de Cianose, conta com apoio da Controladoria Geral da União (CGU) na Bahia, Distrito Federal, São Paulo e Rio de Janeiro. Ainda segundo a PF, os investigados deverão responder pelos crimes de estelionato em detrimento de entidade pública, dispensa de licitação sem observância das formalidades legais e lavagem de dinheiro.


O caso tramita no Superior Tribunal de Justiça (STJ) porque o governador da Bahia, Rui Costa (PT), na época presidente do consórcio, foi quem deu autorização para a aquisição dos aparelhos que nunca foram entregues. O petista nega irregularidades na compra.

Uma operação chegou a ser deflagrada em 2020 pelo Ministério Público da Bahia (MP-BA), mas o caso foi enviado ao STJ após indícios da participação do chefe do Executivo Estadual baiano. Nos mandados não consta ação contra nenhum governador.