BANNER-INTERNET-728-x-90.gif
Leia Também
  • Antonio Marcos Nunes

Política - Cada UM no seu quadro evita o amontoado


Ao longo dos anos temos acompanhado a evolução da política e por consequência, da administração pública, a tal ponto de já termos cursos de nível superior para graduação em várias vertentes da vida pública, desde, quem pensa a política até quem a executa (o político em si). Ou seja, não há mais espaço para amadores.


As maiores lições de sucesso de grandes gestores, que realizam ou já realizaram governos memoráveis, é tocar a gestão como profissionalismo, construindo o governo em duas vertentes, o polo técnico e o político, distintos entre si; quem faz a máquina operacionalizar com eficiência são os técnicos, que constrói e dá ampla publicidade são os políticos, ou seja, cada UM no seu quadrado.


Acabou - morreu a figura do "faz tudo", aquele que 'chupava cana e assobiava' é coisa morfada, não serve mais, o protagonismo hoje é outro, são diretrizes bem definidas, cronograma de trabalho, planejamento e estratégias de marketing, ou seja, o sucesso de uma gestão depende exclusivamente das definições e atribuições dada a cada personagem técnico e cada figura política. Nada de 'corre-corre', mais sim, de métodos rápidos, indivíduos envolvidos na celeridade das ações, com antecipação dos fatos. Assim se constrói o sucesso de uma gestão.


Fazer o que entende e ser responsável pelo que se propõe a fazer, com certeza não tem como dá errado, mas colocar timoneiro fora do leme vai afundar a embarcação, ou seja, as peças devem está em suas funções estratégicas e realizando o que sabem, como a máquina de um relógio. Assim, cada UM no seu quadro, evita o amontoado.