top of page

NOS ACOMPANHE E NOS SIGA NAS REDES SOCIAIS

  • Instagram
  • Facebook
  • X
  • TikTok
  • Youtube
  • Soundcloud
  • Whatsapp
  • Telegram
  • Foto do escritorRedação

Prefeito de Cabrália esteve na Capital mineira com foco na implantação de polo produtor de cachaça


O prefeito de Santa Cruz Cabrália, Agnelo Santos (AVANTE), participou de uma audiência pública nesta quarta-feira, 5, na Assembleia Legislativa de Minas Gerais, que teve como objetivo debater políticas para a produção, comercialização, registro, padronização, controle e certificação da cachaça de alambique em Minas Gerais.


A participação de Cabrália na audiência visa promover um intercâmbio cultural e abertura de negócios para a implantação de um polo de produção de cachaça no município, fomentando a agricultura familiar e oportunizando a criação de mais um produto turístico através de uma iniciativa econômica sustentável. 


Segundo o prefeito Agnelo, Cabrália tem todo potencial para produzir cachaça de qualidade, com toda a técnica mineira e está trabalhando neste sentido, já tendo promovido uma importante reunião com produtores no mês de junho, quando todos tiveram acesso a informações e técnicas sobre o produto através do consultor técnico na área de cachaça, Humberto Candeias, e do deputado estadual mineiro Roberto Andrade. 


“Nossos produtores ficaram muito interessados no segmento e nós também, pois sabemos do potencial das nossas áreas rurais, da nossa agricultura e também do turismo, que hoje recebe uma média de 2 milhões de visitantes, sendo 35% deles do Estado de Minas Gerais”, explicou Agnelo.


Além do prefeito Agnelo, o município foi representado pelos secretários municipais, de Agricultura, Fernando Ricaldi; Administração, Lauren Lélis; Turismo, Paulo César Magalhães; procurador-geral, Dr. Hélio Lima e pela presidente da Câmara, vereadora Soraia.


ASCOM

Comments


Role para baixo e veja mais notícias

Todos os temas tratados neste veículo de comunicação, mesmo conteúdos que expressam opinião, são obedientes ao critério jornalístico relacionado a fatos e acontecimentos, dentro do direito à liberdade de expressão, assegurado na Constituição Federal do Brasil, sem qualquer intenção ou motivação pessoal de agredir pessoa alguma, tão somente expressar de forma legítima o DIREITO de opinar sobre fatos verídicos e acontecimentos reais, no amplo exercício de um jornalismo livre e plural.

 

Antonio Marcos Nunes dos Santos

Jornalista - Registro 0006829/BA  

00_edited.jpg
PC CA.png
bottom of page