BANNER-INTERNET-728-x-90.gif
Leia Também
  • Antonio Marcos Nunes

Sem saída, situação de educadores em Eunápolis é desesperadora com pacote de maldades do prefeito


O prefeito de Eunápolis, José Robério Batista de Oliveira, ao decretar suspensão dos contratos dos profissionais da educação aprovados em processo seletivo; realizar redução de carga horária; retirar regência de classe de efetivos, além de outras ações que minaram as finanças de toda categoria de educadores, deixou pais e mães que atuam na educação em Eunápolis à beira da falência. A APLB sindicato já impetrou na justiça ação contra o decreto do prefeito, que está sendo cognominado como 'pacote da maldade' e 'Decreto da Fome e da Morte'. Sem salários os efetivos mostraram faixa pedido socorro para não passarem fome, diante do decreto do prefeito.

Efetivos tiveram redução de direitos que teve drástico impacto financeiro na vida das famílias dos profissionais da educação, com implicações diretas em financiamentos de casas, automóveis, e outras obrigações que foram assumidas por professores em função dos rendimentos que tinham.

No momento de uma pandemia onde as ações são para minorar o estado de desespero das famílias em função da perda de rendimentos, o prefeito de Eunápolis vem agindo na contra-mão, mostrando que sua truculência não poupa nem aqueles que formam a sociedade.

<