top of page
  • Foto do escritorRedação

Movimento nas rodovias que cortam a Bahia cresce até 50% no fim de ano


rodovia com veículos
Agentes vão redobrar a fiscalização nas BRs 324, 101, 116, 242 e 330 até fevereiro

O fluxo de veículos transitando nas estradas da Bahia aumenta cerca de 30%, entre dezembro e fevereiro, na comparação com o restante do ano, e pode alcançar até 50% em determinados períodos, como no Natal, no Réveillon e no Carnaval. Nesta segunda-feira (18), a Polícia Rodoviária Federal (PRF) deu início a Operação Rodovida que intensifica as ações de conscientização e fiscalização nas rodovias. Na Bahia, as principais são as BRs 324, 116, 101, 242 e 330.


O superintendente substituto da PRF na Bahia Altemar Brandão explicou que as ações são para reduzir os acidentes, o número de vítima e para melhorar a fluidez. Ele explicou que o fluxo aumenta por conta das festas e das férias escolares, e frisou que os motoristas devem redobrar a atenção nas estradas de pista simples [apenas uma faixa em cada sentido], nos aclives e declives e nas curvas fechadas. Este ano, a instituição já registrou 490 mortes no trânsito nas estradas na Bahia.

“A gente percebeu, em 2023, um equilíbrio com relação ao ano de 2022, quer seja nos acidentes graves, quer seja no número de óbitos. Nosso trabalho é voltando sempre para buscar essa redução, quanto menos vítima forem perdidas no trânsito, mais sucesso na operação. No ano de 2022, tivemos, aproximadamente, 500 óbitos e, este ano, estamos entorno de 490 mortes. São números altos”, frisou.


No ano passado, cerca de 72 mil veículos foram fiscalizados e 110 mil pessoas foram abordadas em ações de policiamento da PRF nas rodovias federais da Bahia durante a Operação Rodovida. Os policiais prestaram auxílio a 1.479 motoristas que tiveram problemas mecânicos ou se envolveram em acidentes sem vítimas durante a viagem, realizaram 41 atendimentos a enfermos e atuaram em 110 casos de interdição de rodovia.


O subsecretário da Secretaria Estadual da Saúde (Sesab) Paulo Barbosa participou do lançamento da operação e contou que, em 2022, o Sistema Único de Saúde (SUS) gastou R$ 17 milhões só com vítimas de acidentes de trânsito na Bahia.

“A gente deve focar, sobretudo, na prevenção, porque senão não terá recurso que dê conta desse problema que, via de regra, consome muita tecnologia. O cuidado com as vítimas de acidente de trânsito se concentra na alta complexidade e isso consome muito recurso da Saúde”, explicou.


As colisões frontais são os acidentes mais frequentes nas estradas nos períodos de festas, provocada pelas ultrapassagens perigosas, pelo excesso de velocidade e pela alcoolemia. O uso de celular ao volante é outro fator que tem preocupado as autoridades. Na operação do ano passado, a PRF recolheu 2.242 veículos com problemas em equipamentos obrigatórios, documentação e mau estado de conservação e emitiu 26.573 notificações referentes a infrações diversas.


As mais frequentes são as ultrapassagens indevidas, o excesso de velocidade e a condução de veículo sob efeito de bebida alcóolica. Fazem parte da lista também o uso de celular ao volante e deixar de utilizar os equipamentos de segurança, como cinto para os adultos e cadeirinha para as crianças. Radar e bafômetros estão sendo usados e as equipes têm buscado pontos estratégicos para as ações.


Operação

O lançamento da operação foi realizado no auditório da União dos Municípios da Bahia (UPB), no Centro Administrativo da Bahia (CAB). O diretor geral da PRF Antônio Fernando Oliveira compareceu e contou que as equipes mapearam as regiões com maior registro de acidentes e vão intensificar as ações nesses locais. Na Bahia, os agentes redobram a atenção nas BRs 324, 101 e 116, as duas últimas consideradas mais violentas.

“Fazemos essa operação já alguns anos. Buscamos sempre a conscientização da população. Sempre digo que a onisciência e a onipresença são qualidades divinas, nós, como instituição humana, não as possuímos, mas trabalhamos arduamente. Vamos aumentar o efetivo nas rodovias quando o fluxo aumenta, que são nas férias escolares associadas às festas de fim de ano e ao Carnaval”, afirmou o diretor.


Além de fiscalizar as infrações e acidentes de trânsito, as equipes darão continuidade as ações de combate ao crime como o tráfico de drogas e armas, transporte de animais silvestres, de madeira ilegal e outras irregularidades encontradas nas estradas.


Na última edição da Operação Rodovida, realizada entre 15 de dezembro de 2022 e 26 de fevereiro de 2023, foram 439 ocorrências policiais, que resultaram em 339 pessoas detidas por diversos crimes. Foram recuperados 149 veículos roubados, média superior a 2 veículos por dia. Na edição deste ano, a operação segue até o dia 18 de fevereiro, o domingo após a Quarta-Feira de Cinzas, período em que as rodovias estarão com policiamento reforçado em todo o Brasil.


Confira as infrações mais frequentes observadas na operação do ano passado:

• Ultrapassar de forma proibida - 9.365 pessoas foram flagradas realizando essa conduta na Operação Rodovida de 2022/2023;

• Não uso do cinto de segurança – Essa postura levou os agentes a autuarem 2.209 motoristas que trafegavam em estradas sem o equipamento;

• Alcoolemia - 674 motoristas foram flagrados sob efeito de álcool nas estradas baianas. Foram realizados 47.471 testes com etilômetro (bafômetro);

• Crianças sem cadeirinha – foram 525 autos emitidos para motoristas que estavam transportando crianças sem o equipamento que protege as crianças;

• Motociclista ou passageiro sem capacete - A PRF emitiu 458 autos de infração por esse motivo;

• Uso de celular ao volante - 246 condutores foram flagrados dirigindo e falando ou digitando ao celular nas estradas da Bahia.




Comments


NOS ACOMPANHE E NOS SIGA NAS REDES SOCIAIS

  • Instagram
  • Facebook
  • X
  • TikTok
  • Youtube
  • Soundcloud
  • Whatsapp
  • Telegram

Role para baixo e veja mais notícias

Todos os temas tratados neste veículo de comunicação, mesmo conteúdos que expressam opinião, são obedientes ao critério jornalístico relacionado a fatos e acontecimentos, dentro do direito à liberdade de expressão, assegurado na Constituição Federal do Brasil, sem qualquer intenção ou motivação pessoal de agredir pessoa alguma, tão somente expressar de forma legítima o DIREITO de opinar sobre fatos verídicos e acontecimentos reais, no amplo exercício de um jornalismo livre e plural.

 

Antonio Marcos Nunes dos Santos

Jornalista - Registro 0006829/BA  

00_edited.jpg
IMG_6502.gif
PC CA.png
bottom of page