top of page
  • Foto do escritorRedação

Eunápolis| Sobe para 13 número de mortos em nove dias sangrentos


O impressionante número de treze mortes violentas contabilizadas na cidade de Eunápolis, nos últimos nove dias, em que, na sua quase totalidade, ligadas a enfrentamentos entre forças policiais e indivíduos jovens atuantes na criminalidade, e, segundo a polícia com envolvimento na guerra entre facções na cidade eunapolitana.


 

Luís Thiago Sales dos Santos, 23 anos e João Carlos da Silva de Jesus Júnior, 20 anos, foram os mais recentes indivíduos que tombaram ao reagir a intervenção policial no início da tarde de segunda-feira (13). A polícia diz que após denúncia sobre a localização dos dois suspeitos da prática de diversas ações criminosas, entre elas o envolvimento direto nos atos de terror com a guerra entre fações que tem deixado em pânico moradores dos bairros Santa Lúcia e Itapuã, foi empreendido esforços para captura dos mesmos, quando os policiais foram recebidos a bala pelos suspeitos, na Avenida Prudente de Morais, bairro Juca Rosa, sendo alvejados pelos agentes da lei e vindo a óbito ao dá entrada no Hospital Regional.


Em nove dias de intensa movimentação das forças policiais na cidade, do total de treze mortes, onze foram nos enfrentamentos entre policiais e acusados de envolvimento com facções ligadas ao tráfico de drogas em Eunápolis, e ainda os outros dois casos de mortes violentas foi a morte do PM em troca de tiros em uma festa na estrada da Colônia, em que morreram o policial militar e o homem que o atirou. (veja aqui)

Comments


NOS ACOMPANHE E NOS SIGA NAS REDES SOCIAIS

  • Instagram
  • Facebook
  • X
  • TikTok
  • Youtube
  • Soundcloud
  • Whatsapp
  • Telegram

Role para baixo e veja mais notícias

Todos os temas tratados neste veículo de comunicação, mesmo conteúdos que expressam opinião, são obedientes ao critério jornalístico relacionado a fatos e acontecimentos, dentro do direito à liberdade de expressão, assegurado na Constituição Federal do Brasil, sem qualquer intenção ou motivação pessoal de agredir pessoa alguma, tão somente expressar de forma legítima o DIREITO de opinar sobre fatos verídicos e acontecimentos reais, no amplo exercício de um jornalismo livre e plural.

 

Antonio Marcos Nunes dos Santos

Jornalista - Registro 0006829/BA  

00_edited.jpg
IMG_6502.gif
PC CA.png
bottom of page